WEB RADIO RGA missoes brasil: Fevereiro 2016

uol

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

“A igreja está de pé!”

"O que os incendiários destruíram foram só os prédios, mas a fé deles foi ainda mais edificada"

23-tanzania-0370001369


A igreja em Bukoba, uma cidade que fica no noroeste da Tanzânia, às margens do lago Vitória, foi atacada no mês de setembro do ano passado e perdeu três congregações. Infelizmente, esse tipo de incidente não é novidade alguma para os tanzanianos. Desde 2013, mais de 13 igrejas foram incendiadas e ninguém registrou queixa na delegacia de polícia. "Não é fácil para os cristãos que vivem esse tipo de situação se recuperar emocionalmente, sem falar da parte financeira. A perda material é irreparável, mas não é capaz de desanimar os seguidores de Cristo. O que os incendiários destruíram foram só os prédios, mas a fé deles foi ainda mais edificada. A igreja está de pé", observa um dos analistas de perseguição.

Segundo informações locais, o ataque não interrompeu a agenda de cultos a Deus. "Pelo contrário, agora os cristãos celebram a bondade do Senhor com mais entusiasmo e gratidão. Não houve mortos, nem feridos, por isso eles estão alegres", disse um dos colaboradores da Portas Abertas que os visitou. "Eles pediram para que não desistíssemos de orar por eles e agradeceram pela ajuda e apoio de todas as pessoas que estão envolvidas com a igreja da Tanzânia", disse.

A Tanzânia é o 36º país na Classificação da Perseguição Religiosa 2016 e a situação dos cristãos lá é um tanto confusa. O país adotou um regime socialista até 1987. Atualmente, a forma de governo é a República Presidencialista. "O governo da Tanzânia tem trabalhado neste projeto de constituição, mas não conseguiu realizar o referendo como planejado. No projeto existe uma disposição que introduz a Kadhi (sharia), lei religiosa islâmica, em todo o país", comenta o analista. Embora mais de 50% da população seja seguidora do cristianismo, os muçulmanos presentes e os adeptos ao hinduísmo são mais influentes do que os cristãos. Mas isto não tem impedido que a igreja cresça, e muito menos que deixe de ser forte. "A igreja de Cristo sempre vai prevalecer", conclui o analista.

Leia também
Igreja incendiada aumenta ainda mais a fé dos cristãos

Motivos de oração


Ore para que a igreja na Tanzânia tenha recursos para reconstruir os prédios incendiados.
Peça a Deus para que a justiça seja feita e que os incendiários sejam desviados dos caminhos dos cristãos, para que haja segurança.
Ore também para que os perseguidores recebam o amor de Cristo em seus corações e também agradeça a Deus por poupar a vida dos nossos irmãos tanzanianos.

Líder cristão russo é barrado em aeroporto da Índia


Eles aumentaram ainda mais as restrições para
os cristãos e, infelizmente, as chances de atividades missionárias por estrangeiros estão ficando escassas


24-russia-0100100046


No mês passado, o Asia News informou que o líder cristão da Igreja Ortodoxa Russa, conhecido como Serafim, e que trabalha no departamento das Relações Exteriores da Ásia, teve seu passaporte recusado, ao entrar na Índia, assim que chegou ao aeroporto de Chennai, cidade que antigamente se chamava Madras. O visto dele foi considerado inválido para sua entrada em solo indiano. Para as autoridades russas, a rejeição viola o espírito dos acordos existentes entre os dois países.

"O que aconteceu foi uma clara evidência do aumento da paranoia do governo indiano. Eles aumentaram ainda mais as restrições para os cristãos, até mesmo para os estrangeiros. Está ficando cada vez mais difícil conseguir um visto de entrada para visitar a Índia. Infelizmente, as chances de atividades missionárias por estrangeiros estão ficando escassas", comenta um dos analistas de perseguição. A aliança entre os dois países era vista como um privilégio, caminhando para 70 anos de relações diplomáticas.

Rússia e Índia não são países amistosos para os cristãos. No caso da Rússia, as principais fontes de perseguição religiosa são a paranoia ditatorial e o extremismo islâmico. Já na Índia, que é o 17º país na Classificação da Perseguição Religiosa 2016, o nível de perseguição aumentou em relação ao ano passado, subindo quatro posições. Hoje, os cristãos representam oficialmente 2,3% do total da população indiana, mas extraoficialmente o número é maior, cerca de 7% de acordo com estimativas conservadoras. Quase 80% da igreja na Índia vêm hoje de tradições de dalits e tribos. Desperta a atenção um fenômeno recente, de profissionais e intelectuais, que estão se convertendo ao evangelho em uma escala muito maior do que antes. Enfim, não importa o que aconteça entre estes países, a igreja de Cristo vai continuar crescendo, de uma forma ou de outra. As sementes continuam sendo lançadas.

Leia também
Cenário de perseguição aos cristãos russos pode piorar
Será que a Rússia está "brincando com fogo"?

Restauração para os cristãos libertados na Síria

Continue intercedendo por essas pessoas, que elas permanecem em sua fé e sejam testemunhas de Jesus

24-siria-0100100035


Na última segunda (23), 43 cristãos que foram tomados como reféns pelo Estado Islâmico, foram libertados. Eles foram sequestrados há um ano, próximo às aldeias que ficam ao longo do rio Khabur, no nordeste da Síria. Os cristãos estavam entre um grupo de 230 sequestrados. Durante a sequência de negociações junto à igreja, quase todos já foram devolvidos. No início de outubro do ano passado, um vídeo foi divulgado pelo Estado Islâmico (EI), mostrando a execução de três cristãos assírios. Ao contrário do que muitos pensam, os assírios não sumiram após a queda da Assíria, mas passaram a ser uma minoria étnica e religiosa, que ainda vive na Síria, no Iraque, Turquia e nordeste do Irã. O movimento de independência assírio reivindica as terras que ficam ao norte do Iraque.



A Igreja Assíria do Oriente, em um comunicado, agradeceu a todos os que estiveram com os assírios da Síria, durante o árduo período de um ano de sofrimento. "Embora alegres com a libertação destes reféns, eles observam o impacto contínuo das perdas sofridas nas comunidades assírias, que já são minoria. Eles estão tentando destruir esse povo com violência, eliminando também todos os meios de subsistência deles", comenta um dos analistas de perseguição. Ainda há cristãos assírios mantidos em cativeiro, em diversos lugares da Síria.



Síria e Iraque tomaram conta dos noticiários, principalmente nos últimos meses. A guerra que acontece desde 2011, faz parte de um processo que move o mundo: poderio econômico, sobrevivência da indústria bélica e, principalmente, interesses pelo domínio geopolítico, atualmente ameaçado pelo avanço do Estado Islâmico nestes países. Fato é que, a briga entre os "grandes" afeta muito mais os pequenos. Milhares de cristãos e minorias étnicas estão sofrendo terrivelmente com ataques, explosões, sequestros, violência de todo tipo e privações incontáveis. O real intento do EI é "dominar" o mundo, espalhando sua ideologia e tentando exterminar todos aqueles que não seguem a sharia. A boa notícia é que a igreja permanece de pé, firme em seus propósitos e combatendo o mal com o bem. Ore por todos os cristãos da Síria e do Iraque.



Leia também
"Não, eu nunca pensei em deixar a Síria"
Como interpretar a perseguição religiosa?



Pedidos de oração




Ore para que os cristãos que ainda se encontram em cativeiro mantenham sua fé em Cristo e que em breve, também sejam resgatados.
Peça para o Senhor confortá-los, aonde quer que estejam, e que permaneçam cheios do Espírito Santo, e então sejam fortes para enfrentar a violência e a perseguição.
Ore também pela restauração destes cristãos que estão livres agora, para que se recuperem de todos os traumas sofridos.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

A Igreja de Cristo continua crescendo na Indonésia

A Igreja de Cristo continua crescendo na Indonésia

Muitos continuam a se converter ao cristianismo ao participar de cultos e reuniões de cristãos
19-indonesia-0430103174
Indonésia começou o ano sem muitas expectativas de melhora. O país que ocupa o 43º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa de 2016, subindo quatro posições em relação ao ano passado, quando ainda aguardava tempos melhores em relação à política, à economia e aos direitos humanos. Em 2015, o povo viu uma desaceleração econômica e sofreu muito com os conflitos violentos inter-religiosos.
"Quando Joko Widodo assumiu a presidência, em 2014, as pessoas alimentaram grandes esperanças, mas ele decepcionou os indonésios, em especial os cristãos, que continuam enfrentando grandes perseguições vindas de grupos radicais islâmicos. Há muita burocracia para registrar uma igreja, e quando dá certo e ela existe no papel, de acordo com as leis em vigor, é atacada e até destruída", comenta um dos analistas de perseguição.
Pregar o evangelho para a maior população muçulmana do mundo é uma atividade muito arriscada e envolve grandes perigos. O desconforto é constante e o isolamento é quase certo. Entre os homens e mulheres vocacionados para isto, muitos estão à beira de desistir, por mais que sejam corajosos e valentes. Mas eles persistem. Muitos continuam a se converter ao cristianismo, na Indonésia, ao participar de cultos e reuniões de cristãos e a igreja continua crescendo. Ore por essa nação.
Pedidos de oração
  • Ore para que o governo seja estratégico enquanto toma as decisões para o desenvolvimento da nação e que tenha coragem de defender os direitos humanos, especialmente de grupos minoritários, incluindo os cristãos.
  • Peça ao Senhor para encaminhar todos aqueles que trabalham na evangelização dos indonésios, para que o Espírito Santo permaneça com eles, guiando e protegendo a cada um.
  • Clame a Deus para que, juntos, possamos impactar as nações, através da Palavra de Deus e do amor de Jesus Cristo.

Cristãos sudaneses pedem orações

Cristãos sudaneses pedem orações

As igrejas estão sendo prejudicadas, principalmente aquelas que acolheram os refugiados da Eritreia, Etiópia e Filipinas
19-sudan-0380101052
Em Cartum, capital do Sudão e segunda maior cidade do país, os cristãos pedem oração pela situação que estão vivendo. As igrejas estão sendo prejudicadas, principalmente aquelas que acolheram os refugiados da Eritreia, Etiópia e Filipinas. Representantes do Ministério da Administração Interna do País convocaram líderes de igrejas de refugiados e disseram-lhes para que paralisem todos os seus trabalhos até que as igrejas estejam devidamente registradas, sob a pena de terem suas portas fechadas.
"Nós não sabemos o que fazer. Os líderes das igrejas de refugiados estão discutindo sobre qual será o próximo passo. Estamos pedindo a todas as igrejas do Sudão para que venham em nosso socorro e nos ajudem a tomar decisões, através de seus conselhos. Todos nós que estamos envolvidos na evangelização desse país vivemos sob intensa pressão do governo. Alguns líderes, inclusive, já estão presos", comenta um deles. Há certa desconfiança por parte dos líderes cristãos em registrar as igrejas que estão em atividade, já que isto vai fazer com que o governo tenha muitas informações sobre elas. "Nós vimos o que aconteceu na Eritreia, tememos que aconteça o mesmo por aqui", disse um líder.
Sudão vive, hoje, uma perseguição religiosa sistemática e uma espécie de política de limpeza étnica, com o islã profundamente enraizado na sociedade. Além disso, nas últimas décadas, a imprensa e meios de comunicação têm enfrentado restrições e a liberdade de expressão e religião tem sido muito reduzida. "Tudo o que tem acontecido pode ser uma indicação de que o governo do Sudão está ocupado com uma repressão mais ampla contra os cristãos no país", disse uma das fontes que não pode ser identificada por motivos de segurança. "Estamos clamando a Deus para nos ajudar nessa situação", finaliza um dos líderes cristãos.
Pedidos de oração
  • Ore para que a igreja tenha sabedoria nesse momento delicado e que saiba lidar com as exigências do governo.
  • Peça ao Senhor para que fortaleça os cristãos que enfrentam nesse momento a perseguição religiosa, para que persistam em sua fé.
  • Ore também pelos refugiados que foram acolhidos pelas igrejas do Sudão, para que eles venham somar, fazendo com que a igreja cresça e fique ainda mais forte.