WEB RADIO RGA missoes brasil: Agosto 2014

uol

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Portas Abertas fortalece pastores em Mianmar

Recentemente, a Portas Abertas comemorou a formatura de vinte e dois pastores da tribo Chin, a única tribo cristã em Mianmar, país em vigésimo-terceiro lugar na Classificação da Perseguição Religiosa


Durante três anos, os alunos escalaram montanhas e enfrentaram rios turbulentos para buscar o Senhor e acender a chama da transformação em si mesmos e em suas igrejas.

Phyo *, um pastor de 17 anos, compartilha: "Eu não sabia estudar a Bíblia. Eu nunca a aplicava em minha vida, só na dos outros. Depois que comecei a vir aqui, percebi que tenho que aplicar a Palavra primeiramente em mim. Agora, posso guiar os outros, os membros da minha igreja, porque eu tenho a Palavra aplicada em minha vida".

"Sempre que oramos, tudo é tão formal," Phyo continua. "Depois do culto, vamos para casa e pronto. Quando a Portas Abertas começou o treinamento conosco, fomos ensinados a orar enquanto lavamos a louça ou limpamos a casa. Estamos fazendo isso agora. Eu encorajo os membros da igreja a orar enquanto eles viajam, trabalham, enquanto fazem outras coisas".

"As igrejas", eles contam, "também começaram a mostrar sinais de vida. Aos poucos, os membros passaram a se entender melhor com seus líderes." "O amor entre os membros tem crescido na igreja", diz Arun *. "Também tentamos estender esse amor a outras pessoas que não fazem parte da nossa igreja local. Outra bênção é que as pessoas começaram a ofertar com mais generosidade. O desejo de conhecer mais a Palavra de Deus tem crescido no meio da igreja".

Thanga * conta que o treinamento de líderes leigos mudou tanto sua vida como a de outros alunos para melhor: "Se não tivéssemos esse treinamento, teríamos sido totalmente destruídos. Nós já estávamos destruindo a nós mesmos. Agora, temos esperança de dias melhores".
*Nomes alterados por motivo de segurança.

O Evangelho que liberta os cativos


A Palavra de Deus continua operando milagres e alcançando pessoas de diferentes lugares, raças, culturas e religiões. Pobres, ricos, religiosos, ateus e possessos são transformados, curados e libertos. O relato da Igreja Primitiva em Atos 16.16-19 se repete em Suazilândia, África, nos dias de hoje


Uma igreja cristã em Mbabane, ao norte da Suazilândia, foi destruída no fim de semana por um grupo de feiticeiros sob as ordens do líder da região. A Igreja The Pool of Bed, onde Deus tem realizado milagres de cura e libertação, tornou-se uma forte concorrente segundo os curandeiros tradicionais, conhecidos como tinyanga.

"Estamos perdendo clientes porque as pessoas estão migrando para a igreja a fim de serem curadas e acreditando no poder da oração da esposa do pastor, em vez de confiar em nossas porções mágicas," disse Jabu Ndwandwe, um dos feiticeiros. "Nossa magia é (fundada) sobre os antepassados ​​e é testada e verdadeira. Mas as pessoas sempre gostam de coisas novas. Nós tivemos que destruir essa igreja para salvar nossas práticas."

O Conselho Interno da região autorizou a demolição da igreja e convocou o pastor Mhlanga para uma audiência perante a comunidade de Mambane no domingo. Porém, quem se apresentou sozinha na audiência foi sua esposa, quebrando assim o protocolo habitual.

"Meu esposo está na África do Sul", explicou Siynile para o tribunal.

O Conselho ordenou que ela retornasse com seu marido em outra data da semana seguinte. Na lei Swazi, as mulheres são consideradas legalmente como inferiores e não podem falar por si mesmas. É necessário que o marido represente a sua esposa em audiências oficiais e assinar qualquer contrato no lugar dela.

Mhlanga admitiu que desde a época em que a igreja iniciou no local, pregando a Palavra de Deus, muitos foram salvos por Jesus e milagres começaram a acontecer, mas as curas têm acontecido de forma sobrenatural, fazendo com que o negócio dos feiticeiros caia. Ela não discutiu sobre a natureza das curas milagrosas, argumentando a confidencialidade e respeito entre ela e os fiéis, a quem os feiticeiros chamam de ‘profetisa’ e ‘clientes’.

O número de membros da igreja cresceu para 500, nas últimas semanas, cerca de um quarto da população da área.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Por favor, junte-se a nós em oração!


"Meus olhos choram sem parar, sem nenhum descanso" Lamentações 3.49


Mesmo que a Ucrânia não esteja na Classificação da Perseguição Religiosa publicada anualmente pela Portas Abertas, irmãos e irmãs da Igreja ucraniana pedem para que oremos por eles e pela situação no país.

Durante o conflito armado no leste da Ucrânia, dois filhos do pastor Pavenko da Igreja Pentecostal, Albert Pavenko e Reuben Pavenko foram assassinados. Dois membros da igreja - Victor Bradarskiy e Vladimir Velichko também foram mortos. Um deles era o pai de oito filhos, que são deixados órfãos.

Pedidos de oração


Peça ao Senhor que traga consolo, força e poder para essas famílias que perderam seus entes queridos.
Ore pela Igreja ucraniana para que consiga cumprir o seu papel de abençoadora e pacificadora em meio a esse tempo de grandes conflitos.

A importância de poder ler e estudar a Palavra de Deus

Quando Rasiya aprendeu a ler e escrever, através de um projeto de alfabetização da Portas Abertas, ele começou a ensinar à congregação da sua igreja a importância do aprendizado
Cinco anos atrás, o Pastor Rasiya Damore era analfabeto e incapaz de ler a Bíblia. Após participar de um programa de alfabetização de adultos, elaborado pela Portas Abertas, ele se tornou um dos 350 adultos, no distrito Jhabua, cuja vida foi impactada após aprender a ler, escrever e fazer contas básicas. Desde 2009, o Programa de Alfabetização de Adultos tem realizado aulas noturnas em 10 aldeias cristãs, em Jhabua. O bairro é conhecido por ter a mais baixa taxa de alfabetização no Estado, de 36,9%, comparada com a média nacional da Índia, de 65%.

Nessa região, é comum que as pessoas enganem e levem vantagem sobre os analfabetos. "Aqueles que fazem empréstimos são muitas vezes enganados e recebem o pagamento com um valor menor do que o que está escrito no recibo", Rasiya explica. De acordo com o coordenador de alfabetização deste projeto, uma ênfase é ensinar aos alunos como contar dinheiro, para que eles possam verificar os seus salários, sozinhos.

Depois de completar o programa, Rasiya se tornou um voluntário no centro de alfabetização, onde cerca de 150 estudantes estão agora inscritos.

Desde a criação desse programa, a comunidade tem visto muitas mudanças positivas. Cerca de 60% dos estudantes foram aprovados no exame de alfabetização do governo na primavera de 2013, para qualificar-se para os exames do terceiro grau. Muitos deles são crianças pobres que abandonaram a escola para cuidar do gado e fazendas de seus familiares. Também participaram do programa adultos que nunca haviam frequentado a escola.

De acordo com o coordenador do programa, a parte gratificante do projeto é ver os alunos lendo a Bíblia. "Acima de tudo, é uma alegria ver nossos alunos lerem a Palavra de Deus em sua própria língua!"

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Cristãos se unem para ajudar, na Etiópia

Cristãos da Etiópia testemunham como Deus reverte situações difíceis para a glória de seu nome. A Portas Abertas, através da visita de encorajamento, mostrou a esses cristãos que eles são parte de um corpo maior, que se importa e sofre com eles





A isolada, mas ainda assim fiel igreja de uma remota comunidade no sudoeste da Etiópia, testemunhou recentemente como Deus reverte situações difíceis para a sua glória. A Portas Abertas foi privilegiada em ver como Deus usou a perseguição para unificar a Igreja e a visita de encorajamento para mostrar, a uma comunidade hostil, que os cristãos são parte de um corpo maior, que se importa e sofre com eles.





Começou com um incêndio na casa de um dos membros da igreja, no meio da noite. Muitos cristãos descartaram isso como um incidente aleatório. Nenhum suspeito foi identificado ou interrogado, mas os líderes da igreja, cautelosos, sabiam que precisavam orar por essa situação.



Um mês depois, houve dois incêndios criminosos no prédio da igreja e na casa de outro membro. Alguém incendiou a igreja e a pequena casa de hóspedes, que fica no mesmo local. Não levou muito tempo para que as chamas cobrissem as estruturas de madeira e palha. Na hora em que os cristãos chegaram, o fogo tinha consumido o material da igreja, os uniformes do coral, os instrumentos musicais e o púlpito. Eles salvaram umas poucas cadeiras dos restos carbonizados. Felizmente, ninguém ficou ferido.



No mesmo momento, alguém incendiou a casa de um cristão, Hailu*, em um assentamento próximo. A família adormecida não tinha ciência de nada. O fogo se espalhou rapidamente por todo o telhado. Pela graça de Deus, os vizinhos viram as chamas e bateram com força na porta para acordá-los. Hailu escapou ileso com sua esposa e filho, mas perdeu tudo no fogo.



A Igreja Ortodoxa e o Islã têm forte representação nessa região, mas o animismo tem grande influência, mesmo entre os ortodoxos e os muçulmanos. O medo de ofender espíritos ancestrais mantém as pessoas cativas, e os feiticeiros mantêm sua posição na sociedade alimentando esse medo. "As pessoas temem não ser bem-sucedidas na vida, se não obedecerem aos feiticeiros", explica um líder da igreja local.



Para a comunidade cristã, esses ataques foram um sinal claro de um plano coordenado contra eles. Os cristãos evangélicos compartilham a esperança vinda de Jesus em meio à crescente hostilidade, isolamento e ameaças. Ao avançar, eles levam muitas pessoas de uma cultura de medo à liberdade de Cristo.



Antes dos incêndios, os cristãos tiveram uma campanha evangelística de uma semana e muitos aldeões decidiram seguir a Cristo.



Tão logo ouviu sobre o incidente, a Portas Abertas visitou os cristãos nessa remota região agrícola do sudoeste da Etiópia. A comunidade cristã estava muito contente em dar as boas-vindas a novos rostos de sua família cristã. Durante a visita, eles foram encorajados com as Escrituras e lembrados de que, como cristãos, somos chamados a compartilhar do sofrimento de Cristo. Foi animador ver que a confusão inicial e o alarde que se seguiram aos ataques incendiários deram lugar a uma aceitação madura de que é inevitável enfrentar perseguição quando impactamos as trevas ao nosso redor com a luz de Cristo.



Foi encorajador poder ver como os cristãos se aproximaram nessas circunstâncias. Eles compartilharam o pouco que tinham para ajudar Hailu a reconstruir sua casa. Os ataques também uniram a comunidade evangélica. Após os ocorridos, as quatro igrejas da região formaram uma aliança e agora se encontram regularmente para orar.



Após a visita, um dos líderes da igreja compartilhou que essa iniciativa não apenas serviu para encorajá-los, mas também para enviar um importante recado à comunidade mais ampla. "Os aldeões passaram a respeitar mais os cristãos. Eles perceberam que os cristãos não se isolam, mas amam e se preocupam com as pessoas fora do vilarejo, o que os faz pensar duas vezes antes de atacar novamente", explicou um colaborador da Portas Abertas.



A Portas Abertas apoia essa igreja através de treinamento teológico, distribuição de Bíblias e provisão de meios de transporte. Também os ajuda a compreender a perseguição através do treinamento Permanecendo Firme Através da Tempestade.



Pedidos de Oração






Agradeça ao Senhor por transformar uma situação de medo em crescimento espiritual para os cristãos. Ore para que Ele continue a protegê-los.
Ore para que as igrejas e os cristãos continuem a permanecer firmes nessa situação e peça ao Senhor para abençoá-los com seu amor e perdão.
Ore para que mais aldeães conheçam a Cristo.
Interceda pelos líderes da igreja, para que tenham a sabedoria de Deus nessa situação e possam acalmar e tranquilizar seus membros.
Peça a Deus que supra todas as necessidades das duas famílias que perderam suas casas, restaure e abençoe a igreja, enquanto eles continuam a testemunhar de Cristo.